12.2.08

Justiça, democracia, batotas e fetos humanos...

Depois de duas semanas sem acesso à net por incompetência dos operadores, quando prevendo isso tomei algumas precauções mas nem assim... pensava que mudava de burro para cavalo e só mudei de burro para burro, só com a vantagem de pagar alguns euros a menos. Já é alguma coisa. Já dá para o aumento das aveias!... Pois, agora, foi a vez do google me negar a entrada na conta, sem poder fazer login, porque musei o endereço electrónico e lá fiquei cerca de 48 horas sem poder postar e até comentar.

Durante este tempo, entre outras coisas, vi o prós e contras, que desta vez não foi só o habitual prós e prós, de ontem, com que me deleitei nos momentos das intervenções de Manuel Espanha e de um outro interveniente de que não me lembro do nome e que abordou a questão da corrupção referente às operações urbanísticas de norte a sul deste jardim à beira mar plantado... Bem hajam por terem dito o que disseram sobre o estado das artes da Justiça desta democracia. Mais dois que vêm fazer coro com o bastonário Marinho Pinto e dizer o que muitos já viram mas que muitos, em particular as profissões ligadas ao jurídico, os políticos e as profissões ligadas à construção. O rei está nu olhem-no frontalmente!

Também muito me ri, ao ter conhecimento de que Nicolas Sarkozy está mais preocupado com os SMS que vai recebendo ao longo dos dias do que com suas obrigações de presidente. Ao que parece, o seu último e badalado casamento, corre o risco de ser anulado, por se ter realizado à porta fechada no Eliseu e que para ser viabilizado teria de ter sido celebrado de portas abertas ao público. Estou muito preocupada!...

Depois, todas as clamidades do costume, guerras, julgamentos sumários em Guantanamo, inundações que dejalojam os mais ricos do planeta, sida e fome no mundo e em especial no continente mais rico, enquanto se gastam rios de dinheiro nas campanhas eleitorais do país mais pobre do planeta e se fala muito dum Obama, como se, na hora da verdade, os americanos fossem capazes de permitir a chegada à Casa Branca a um democrata cor de chocolate, mesmo se o chocolate tem muito leite... Eu quero enganar-me, mas não acredito que isso venha a acontecer. A ver vamos, como se vão passar as batotas, já habituais, de última hora, que permitiram dois mandatos a George Bush.

E, neste momento de balanço pelo aniversário da despenalização do aborto, a minha atenção diriguiu-se para decisões de justiça e jurisprudências, relativamente ao estatuto jurídico do feto e aos problemas éticos bem complexos associados de, como por exemplo, a partir de quando poderemos considerar que o feto (humano) é, plenamente, um humano, uma pessoa?

2 comments:

Ana Paula said...

Bem visto, e-ko! :)

E esta última questão bem poderá fazer correr "rios de tinta"... Claro que todas as outras também. Mas interessa-me particularmente a última.

Bjs e obrigada pela música que é sempre da melhor escolha!

e-ko said...

pois é Ana Paula, todos se manifestam a favor ou contra a IVG mas não se debruçam sobre o estatuto jurídico de quem ainda não nasceu!

obrigada pela visita
beijo