11.4.07

a hora da verdade por um canudo


Só mais umas escassas horas, e, vamos ver como José Sócrates vai descalçar a bota da polémica que se gerou à volta do seu título de engenheiro e licenciatura acabada na universidade moderna. É curioso, sem que o seja, ao escrever a frase precedente, realizei que nunca me tinha referido ao primeiro ministro como sendo engenheiro, como não o faço em geral em relação a ninguém, mesmo quando vou ao médico, limito-me a dirigir-me ao profissonal que me atende por senhor fulano ou, simplesmente senhor, se não conheço o nome, sempre assim fiz, e, o facto de ter vivido muitos anos noutros países da europa, reforçou ainda esta atitude.
Nunca tratei por doutor, engenheiro ou arquiteto quem quer que fosse. Sempre detestei esta espécie de culto pelos títulos de que se sofre neste país e quero bem crer que gente sem as habilitações ou obtendo diplomas sabe-se lá como, não faltam, em todos os sectores de actividade como em todos os quadrantes políticos. Que se investigue e se denuncie, pois, esta mentalidade tem de mudar como tem de mudar toda a hipocrisia e parolice associadas.
Entretanto, é ver, toda a espécie de opositores de Sócrates, esfregar as mãos de contentes, esperando radiantes que, os seus, tão notados, medíocres desempenhos, venham a ser recompensados, a bem dos portugueses e da pátria... São todos uma cambada! Quem não os conhecer que os compre! Todos dôtôres! Corja de classe política. Médias vendidos!

5 comments:

maloud said...

Isto visto dos bastidores é um poema.

e-konoklasta said...

Bom dia Maloud,

Isto não vai acabar assim. Quem levantou as dúvidas não vai descançar e a oposição vai alimentar e alimentar-se das dúvidas levantadas.

abraço

Cláudio said...

De qualquer forma, estamos de parabéns por esta demonstração de democracia à inglesa... o PM veio explicar. Democrático mesmo.

maloud said...

Eu só espero, E-Konoklasta, que depos disto se acabe com esta parolada dos drs, eng, arq. Nunca percebi o porquê de ao abrir uma conta num banco com espacinho no impresso para as habilitações académicas, termos de declarar rapidamente que não queremos aquelas marmeladas atrás do nome. Se nos esquecermos, lá vem o drª.
Já reparou que aqui dificilmente aceitavam o Delors como contínuo? Falo da imprensa, porque o meio onde me movo, todo ele de direita, anda aparvalhado com esta saga. Ontem alguém me perguntava a brincar: Mas é ele que vai fazer os planos de engenharia para a Ota? Haja juízo, ou então eu também começo a exigir a verificação de todos os alunos de Direito dos anos do PREC e dos de Economia de Lx entrados em 68. Tiraram o curso em greve quase ininterrupta. E o meu 2ª ano em Letras em Lx, quase não existiu. Estivemos em greve praticamente sempre. Se a memória não me falha, acho que acabou em Maio.

soslayo said...

e-konoklasta:

Mesmo não ligando aos adjectivos que em Portugal fazem questão de ostentar, abrindo portas muitas vezes para uns berdamerdas... gostaste da entrevista? E parece-me que ficaste como eu tudo na mesma... se dúvidas tinha, ainda outras se me aguçaram! Saudações Bloguistas.