13.9.06

uma aristocrata selvagem


Imagimem que a flor da imagem ao lado, conhecida por flor de liz marítima, talvez possa a vir impedir a construção de uma inceneradora na zona industrial/portuária de Marselha pois ali foi descoberta uma cinquentena de pés desta espécie protegida.
O caso está em tribunal e, antes do fim de setembro, os marselheses saberão se, em 2008, terão a tal encineradora, para tratar as cerca de 500 000 toneladas de lixo da cidade.
Será que esta flor terá a força suficiente para impedir o que os cidadãos, que iniciaram o movimento, não querem ver nem cheirar nas proximidades.
Não há quem ponha uns pezinhos dumas florzinhas ou cardos, de espécies protegidas, por exemplo, nas proximidades da cimenteira do Outão, na serra da Arrábida ?

7 comments:

maloud said...

E que é que os marselheses pensam fazer ao lixo que produzem?

maloud said...

E que é que os marselheses pensam fazer ao lixo que produzem?

Klatuu o embuçado said...

Irónico!

e-konoklasta said...

Sinceramante, penso que a flor não vai ser um argumento suficiente para travar tal projecto, mas fosse os marselheses encontrariam, rapidamente, uma alternativa.

Extratexto said...

É uma das minhas flores favoritas, também conhecido como «Narciso das Areias» ou «Lágrima de Napoleão», florindo durante os meses de Junho a Agosto.
Pode ser encontrado em abundância nas dunas da ria de Aveiro.

Tem um detalhe curioso, não se pode colher pois morre muito facilmente.

e-konoklasta said...

extratexto,

Creio que todas as flores selvagens, duram muito pouco, depois de cortadas.

O seu blogue é mesmo muito interessante. Lá fui mais uma vez.

o-espectro said...

E se reenviassemos a d. Maloud para a Cote d Azur. Que alivio. Niet

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...