28.8.06

"modern times" are they realy changing? 42 years after...


carregar na imagem para o vídeo
appuyez sur l'image
What's "blowing in the wind" ?

Está de volta, com 65 anos, à rádio, e, com um novo album "modern times" (está prevista, também, uma edição em vinil) que devia já ter saído hoje e apresentado na rádio de que já falei noutro post. Muito esperado, excelente para alguns, nada de novo para outros, veremos.

A antena 2 vai apresentar, em duas partes, esta semana, no dia 30 e 31, se não me engano, o filme do Scorcese sobre Bob Dylan, "no direction home".

Afinal é hoje quinta 31 de Agosto e amanhã dia 1 de Setembro que a RTP 2 apresenta o filme sobre Bob Dylan. Sei que é à noite depois do jornal das 22, mas lá para a meia noite. O site da RTP não o anuncia, não foi ainda actualizado. O costume.

14 comments:

hefastion said...

Bob Dylan, fixe.

Fiquei pasmado com a troca de "galhardertes" na GLQL entre V e a Zazie.
Sabe, independentemente do mérito, se é que o dito personagem, tem algum,é aquelo tipo de pessoas que alguma vez teria curiosidade em conhecer.
Pura e simplesmente não me dizem nada...

hefastion said...

e-konoclasta,

O seu blogue é de facto muito "sui generis": é um blog culto, simultaneamente despretensioso e audiovisualmente falando, muito atraente e com opções estéticas muito claras, no meu modesto entender.
Depois, tem outra qualidade:V não impinge nada a ninguém, sendo notório que não é uma pessoa absolutamente nada neutra.
Isso agrada-me sabe, pessoas nestes termos.
Continue.
Abraço

hefastion

e-konoklasta said...

hefastion,

Agradeço o seu apoio.
Sabe, aqueles comentários, despropositados, da menina do "cocanha", só serviram para que ela própria se descredibilizasse, foi por isso que apertei a pressão.
Não só não é capaz de fazer um comentário dentro das questões, como é incapaz de guardar o sigilo pedido, mesmo que não perca as estribeiras. A piada da "Sylvie Vartan" já a tinha topado há algum tempo num comentário que ela lhe fez a si.
Pouco importa que se saiba que sou do sexo feminino, mas detesto esta discriminição e condescendência, que se faz aqui em Portugal, aos blogues de mulheres. O meu nick era (é) uma estratégia para escapar a isso a que já não estava habituada.
Ao menos ficámos a saber quem é a Zazie. Também não faz parte das pessoas que gostaria de encontrar o que não podia dizer na altura da embrulhada dos artigos do JPP por causa dos nicks e dos anónimos, e, da amálgama feita com os tarados e outros canibais na net.
A revelação está feita, embora estivesse para chegar. Nos blogues de outros países, assino, quase sempre: teresa, fazendo link para o blogue.
Afinal, são coisas sem importância, em si, mas não tolero a quebra dum sigilo que lhe foi pedido expressamente e se a senhora já não se lembra do que lhe escrevi, o que é patente com tanta gesticulação e verborreia, ainda tenho, na conta do hotmail do blogue, os e-mails que trocámos (3 ou 4) mas não vale a pena, e não está na minha maneira de ver, ir mais longe com esta história, já me diverti que chege.
A senhora que se trate. Entre a "scizo" a histeria e o infantilismo, para não ir mais longe, um bom psicoterapeuta já tem com que se entreter. Esqueçamos, mesmo se me deito com um olho meio aberto, para o que der e vier...
Quanto às opções estéticas, são as minhas e evoluem, também. Creio, no entanto, que as opções éticas são, quase, evidentes.
Sou livre, e honestamente, faço pouca auto-censura nos dois blogues, são as duas faces duma mesma pessoa, para não dizer medalha. Não me forço a dirigir os blogues em direcções que me são estranhas, com a preocupação duma coerência artificial ou impostas pela "pressão" da blogosfera cá da terra.
Quem se vai divertir com estes afrontamentos é a Maloud que ainda não deve ter chegado de férias. "Elle va tomber de haut" com o chinfrim e com a revelação, penso que ela não sabia, pelo menos, eu, não lhe disse nada.
Queria evitar de falar do sexo dos anjos e passei, duma penada. de tarada a transexual ou travesti.
Devo dizer que me diverti imenso e sei que isto não fica por aqui.
Supérfulo, tudo isto, mas que fazer ?

e-konoklasta said...

hefastion,

Divirta-se e leia o post da GLQL "Detroit, a sede dos juízes...", foi aí que, digamos, tudo começou, acabei de ler e, mais uma vez, ri a bandeiras despregadas.

pedro silva said...

off topic:
bem vinda.

E a minhas desculpas por ter sido um bonzo dado que nem sequer me passou pela cabeça que o econoclasta fosse mulher.

E concordo que existe discriminação de blogs de mulheres nas blogosfera(sabe-se lá porquê...)

e-konoklasta said...
This comment has been removed by a blog administrator.
e-konoklasta said...

Pedro,
Não tem que pedir desculpa. Sempre fiz o necessário para escapar à etiqueta de "crónica feminina". Procurei sempre redigir os bilhetes e comentários evitando traír-me. Foi difícil ao princípio, depois habituei-me, e de tal forma, que creio que é provável que assim continue.
Havia já uma pista no pequeno texto do post da foto do Wells.
Obrigada pelas boas vindas, mas não era preciso, já cá ando há algum tempo. Espero que continue a vir comentar no meu blogue, mesmo depois desta revelação.

pedro silva said...

claro que continuo a comentar aqui.
O que eu esperava era que o econoclasta fosse econoclasta no armadilha...
Eu não vi os ultimos post - 10 ou 12 - porque estive de férias..

pedro silva said...

diria mesmo mais:

"Espero que continue a vir comentar no meu blogue, mesmo depois desta revelação. "

Agora é que virei mesmo precisamente por causa desta revelação.
Ontem ficou por dizer...

josé said...

Ora bem. Deixem-me vir aqui defender a zazie.

Conheço a zazie pessoalmente, desde o tempo do Pastilhas do MEC.

Aliás, foi através das discussões que mantivemos nesse forum, um blog avant la lettre, que fiquei a apreciar o modo como escreve e se pronuncia sobre determinadas coisas.

Se a conhecessem pessoalmente ficariam também com a melhor das impressões.
Há porém uma coisa que é notória, na zazie:
Responde à letra, no minuto, quando se sente ofendida por escrito, e precisa de muito pouco rastilho para usar artilharia pesada.
Ahahahaah!
Sabendo isto, parece-me que é muito fácil conviver com o lado altamente positivo que lhe reconheço: a inteligência arguta em perceber os interstícios dos escritos.
Quem não acreditar naquilo que escrevo e pense que faço o elogio porque ela mesma me elogia muitas vezes, então vá ao arquivo do Pastilhas e leia por si.

Começo a entender que a e-konoklasta é uma ela. Tanto melhor.

josé said...

Aliás, agora é que vou ler com mais atenção...mesmo que isso contrarie a intenção da autora.

e-konoklasta said...

José,

Não era preciso vir desculpar a Zazie, ela já é grandinha e precisa de aprender a controlar os seus ímpetos. Era inútil todo aquele espalhafato seguido de insultos. Nunca a insultei. Só lhe fiz lembrar o que lhe tinha pedido depois da nossa troca de e-mails e que só a ela revelei. Portanto, como só ela sabia, só dela podiam vir os golpes... Não conheço pessoalmente ninguém na blogosfera, e, penso, que ninguém me conhece, não tem portanto grande importância, mas era a minha opção e estratégia para escapar à indesejada discriminação.
Era o meu direito também.
Pouco me importa quem ela seja a Zazie, não gostei do que ela fez.
Se acha que os meus modestos pareceres lhe vão merecer mais atenção a partir "da revelação", cuidado, isso é discriminação positiva e, neste caso, injusta. Não deixarei de pensar ou de exprimir-me de modo diferente a partir de agora.

hefastion said...

e-konoclasta,

neste caso concreto as questões de género, são-me completamente irrelevantes, porque, confesso, nunca fantasiei querer conhecer, ao vivo, autores de blogues, etc, etc...
Mas confesso que tb não sabia.
Continuarei exactamente o mesmo.

maloud said...

Olá E~Konoklasta
Ao fim de 4 semanas na Provença {imperdoavelmente falhei os campings da Côte d'Azur, o Canard e o NYTimes} estou feliz com o seu regresso e perplexa com o nível do debate. Claro que não consegui perceber como se chegou a tal elevação, dado que imagino a Zazie como uma pessoa emotiva, mas leal. Pelo menos comigo foi sempre impecável, nunca tendo revelado o teor de alguns e-mails que lhe enviei. Deve haver por aí algum mal entendido e a emotividade não ajuda muito.
Quanto a ser a E-Konoklasta je m'en fiche. Como sou conservadora continuarei a tratá-"lo" como sempre, a não ser que isso o aborreça.
Vou gravar a sua sugestão, porque como imagina a noite será para pôr a conversa em dia com a prole, uma vez que todos detestamos o hábito tão português de nos telefonarmos ou e-mailarmos obsessivamente.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...