5.12.07

não é preciso dizer mais nada... ou muito pouco

De passagem pelo Xatoo, fui ler o que me sugeria este link. É uma descrição lúcida da situação de Portugal feita por um estrangeiro que aqui vive há quase trinta anos... aqui, na pravda e não por um russo!
Destaco esta passagem que é uma leitura de que são incapazes as nossas elites intelectuais, para não falar das outras que só sabem coçar-se para dentro... "Inúteis são aquelas tentativas de desculpar a situação, dizendo que o país é pequeno (e o Luxemburgo, no topo da mesma classificação da UE?) que não tem recursos (e as praias, o sol e os milhões de quilómetros quadrados de mar? Quantos países com as mesmas condições teriam projectos de energias alternativas a funcionar já há tempos) que a agricultura é pobre (e o Israel, que fez do deserto uma oásis?) ou que os portugueses não sabem trabalhar (mais que um quarto da população do Luxemburgo são portugueses, povo que tem fama de ser uma grande mais-valia para qualquer empresa no resto da Europa..."
A continuar assim, não será só o deserto a sul do Tejo mas em todo o continente... a vergonhosa cauda da Europa a 27!

3 comments:

PostScriptum said...

Excelente análise e infelizmente a constatação de tudo o que já sabemos. Todo o rectângulo é efectivamente um desero de ideras, com a capital do império da imbecilidade repleta de provincianismo.

e-ko said...

entre a espuma das vagas que batem na costa do rectângulo e a minha espuma dos dias virtual, um no man's land...

xatoo said...

Tugas emigrantes eficientes sob administrações honestas e coerentes. Tugas sedentários e laxistas sob administrações corruptas e ineficientes.

Assim sendo, isto só prova que a causa do nosso mal é um problema de estruturas politico-financeiras que o cidadão comum não compreende, quanto mais passar-lhe pela cabeça que poderia controlá-las.
O país é assim porque sofre de macrocefalia endémica de Administrações, públicas e privadas que vivem à sombra das públicas.