29.7.07

a mecânica dos laranjas


Se não temos o governo mais desejável, parece-me que tragicamente nem oposição credível existe. É um prazer passar pelo blog o Jumento e encontrar muito do que pensamos sobre os nossos políticos e com belíssimas imagens em bónus:
"Finalmente, ao fim de dois anos o PSD marca a agenda política, o Alberto lança uma opa hostil sobre o Orçamento de Estado por conta do aborto. O Cavaco Silva Presidente começa por dizer que é uma questão de tribunais para que, uns dias depois, o Cavaco simpatizante do PSD e apoiante de um Marques Mendes, refém dos votos do rebanho ilhéu, vem dizer que é uma questão de diálogo. Por fim sabemos que o mesmo Marques Mendes que foi incapaz de gerir a autarquia de Lisboa recandidata-se ao PSD com o lema governar em 2009, enfim, só se for a freguesia do Castelo.

Um outro militante do PSD, o professor Charrua, tem-se em tão elevada conta, que só vai pedir €50,000 ao Estado por danos morais, diz ele que se trata de uma indemnização simbólica por danos morais. Um ex-deputado que não tema mais nada que fazer do que ofender as mães dos outros considera-se num estatuto moral muito elevado. A director da DREN deveria ter sido demitida, por abuso e por ter sido incompetente a forma como se livrou do Charrua, mas daí a considerar um símbolo da luta pela liberdade alguém que anda a chamar filho da puta aos outros já começa a ser demais.

Por fim sabemos que o Albero controlo mais de 30% os votos das diectas do PSD, isto é, que é o líder do PSD-Madeira que escolhe quem lidera o PSD e, por conseguinte, quem se candidata a primeiro-ministro deste país. Ou seja, Cavaco Silva e os cavaquistas apoiam o líder escolhido por Alberto João. Pior do que isto só o Benfica do tempos de Vale Azevedo. "


no JUMENTO no seu melhor

3 comments:

xatoo said...

não termos oposição de direita é trágico?
Não concordo. Afinal a direita que convém aos decisores é a que está no governo. Ainda não perceberam isso?
A única oposição possivel a a de "esquerda" - ainda assim, como o demonstra o acordo de hoje na CML para tentar contrariar a simples intenção de implantar uma "social democracia" parcial e envergonhada sobre uma economia atrasada em sessenta anos em relaão ao timing em que isso foi feito na Europa.
Aqui, passado este tempo todo, o que eles tencionam verdadeiramente implantar é algo que permanece oculta ao cidadão comum - que nós temos de ajudar a descobrir.

xatoo said...

desculpa lá os erros, mas é que tenho andado excitado desde que soube que vem cá outra vez a Vesselina Kasarova

e-ko said...

nas nossas "democracias" ocidentais - e ainda não há outras - lá porque cidadãos não pensam como nós, não é por isso que vamos desencadear uma guerra civil ou ideológica contra eles que chegaremos a um resultado político/económico/social éticamente aceitável para a grande maioria. e se as oposições - tanto de direita como de esquerda - são medíocres, não contribui em nada para fazer avançar o que seria desejável senão exigível, e a tentação é sempre a demagogia e o populismo.

Em França, durante muitos anos, a direita fazia algumas concessões à esquerda pela pressão das vozes de esquerda e dos sindicatos - não é redondância, nem sempre diziam exactamente a mesma coisa - depois, a "esquerda" fez algumas concessões às pressões da direita mais especificamente à direita que realmente conta a económica.

temos de ter em conta, mesmo que não nos agrade, a bipolaridade política das nossas sociedades e as oscilações de peso eleitorais nas alternâncias políticas... é só um princípio de realidade contra um princípio de desejo utópico.

ainda não conheço essa marca de vaselina mas vou procurar...