8.2.07

com lucidez e coragem


"Eu voto 'sim' sem qualquer dificuldade. Não tomo esta atitude de ânimo leve, sei a minha responsabilidade como católico e como padre", frisou Manuel Costa Pinto, acrescentando não ter receio de ser excomungado.
"Já estive suspenso 17 anos por escrever um livro sobre o celibato a defender que os padres se deviam casar. Hoje já toda a gente diz isso, mas naquele tempo [início da década de 70] fui só eu", contou o padre.

"Mulheres com medo"
"Mulheres com medo, que não têm dinheiro para ir para o aborto clandestino e muito menos para o estrangeiro, disfarçam a gravidez até ao parto. Vão para uma casa de banho, sai uma criança — aí sim, já uma criança — metem-na num saco e deitam-na ao caixote do lixo, ao esgoto ou até no campo", descreveu o padre de Viseu.
Na sua opinião, essas situações só acontecem "por causa da lei que existe actualmente", sendo que, nesses casos, já considera que existe um crime, porque, se o bebé nasceu com vida, "é uma pessoa com personalidade jurídica".
Do dossier referendo, a ler na íntegra, no público de hoje.
Só com lucidez e coragem se pode vir a modificar uma realidade muito penalizante para as mulheres e para a condição feminina.

3 comments:

maloud said...

Há outros padres que vão votar Sim. O frei Bento Domingues é um deles.

e-konoklasta said...

ainda há pessoas lúcidas, outras corajosas... tenhamos esperança, para que isto vá mudando!

Cristina said...

é preciso muita coragem mesmo!! :)) beijinhos