18.10.06

a política "social" das energias e tarifas da electricidade


Já o ano passado nos tinham dito que os consumidores domésticos teriam de ver grandes aumentos nas sua facturas de electricidade para 2007. Agora, voltam à carga, e até agora ninguém se preocupou com o assunto, mas ainda estamos a tempo, pelo menos, de compreender esta embrulhada e de protestar contra estas políticas:

"Em declarações à agência Lusa, o jurista da Deco Luís Salvador Pisco disse que o secretário de Estado «está mal informado sobre o assunto em causa (custo da electricidade)» negando que a culpa seja do consumidor.
«A culpa não é do consumidor. A culpa do défice tarifário é do Estado porque não interveio quando devia ou interveio de forma deficitária», adiantou Salvador Pisco.
De acordo com este jurista, os vários governos não souberam «aproveitar», nomeadamente as energias renováveis para baixar a dependência da energia eléctrica.
Salvador Pisco considera que «os consumidores representam uma franja mínima, cerca de 20%, do consumo de electricidade» em Portugal.
Na terça-feira, o mesmo jurista tinha dito à Lusa que considera socialmente injusto o aumento de 15,7% das tarifas de electricidade proposto pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) para 5,3 milhões de consumidores domésticos.
Salvador Pisco explicou que é «socialmente injusto» que tenham que ser os consumidores domésticos a suportar os sobrecustos com as energias renováveis, quando quem mais consome e mais polui no país são os clientes industriais.
A DECO defendeu ainda ser «pouco justo» que os consumidores tenham que pagar as rendas aos municípios e o sobrecusto com a cogeração.
«Se todos estes factores fossem rectificados, os custos da electricidade baixariam para os consumidores», afirmou.
Lusa
18-10-2006 11:01:00"

Está-se a ver que o desgoverno não é nosso e querem atirar-nos as "culpas" e os custos para cima. Para além disto, a EDP tem uma gestão, do nosso ponto de vista de consumidores, muito duvidosa, paga ordenados faraónicos aos seus quadros superiores, tem lucros, igualmente faraónicos, que têm de entrar limpinhos nas contas dos accionistas. ..Qual a lógica ? deve ser a grande preocupação que o capital tem com os mais desprotegidos...

1 comment:

Anonymous said...

Ou seja a culpa é dos mesmos de sempre mas quem paga as favas são também os mesmos de sempre, nós!